terça-feira, 26 de novembro de 2013

TELINHA QUENTE 100

Em 2011, escrevi sobre sitcoms exibidas pela Globo ao anoitecer, na segunda metade dos anos 80 (leia aqui). Declarei amor eterno às Super Gatas, que durou 7 temporadas, entre 1985-92. Terminei de assisti-las.
Passei mais de decênio sem ver o show, desde que deixou de passar por aqui. Em visita ao amigo George Shahin, no começo dos 2000’s, fui reapresentado às Golden Girls, pelo norte-americano. Esta postagem é dedicada  a sua memória.
Como você leu o texto de 2011, não apresentarei as personagens. Lembrando, ele está aqui.
As Golden Girls foram importantes não apenas porque eram deliciosamente engraçadas. O programa mostrou que mulheres na melhor idade não necessitavam abrir mão da sexualidade. Elas colocaram abaixo a representação da mulher madura como mamãe/vovó assexuada. Pelo contrário, Blanche Deveroux beirava a ninfomania.
Temas polêmicos foram abordados de forma sempre afirmativa. Num dos episódios da penúltima temporada – estamos falando de mais de 20 anos atrás! – o irmão de Blanche “casa-se” com o parceiro. Meu radar oitentista disparou quando percebi que o ator fora Clint Ogden, um dos amantes de Sue Ellen Ewing!
As Super Gatas são a sitcom fofa que Married With Children evitou ser. Todo episódio traz uma lição edificante, de forma bastante irrealista. Em 20 segundos, uma fala modifica uma forma de pensar a vida toda.
Chamou-me atenção a impermeabilidade estética. Cenografia, vestuário e música são idênticos ao longo de 7 anos. Quão estranhas as roupas berrantemente coloridas e largas (como elas não enganchavam na mobília?) pareciam prum púbere noventista, já sem referencial do que fora 1985.


Quando vemos a totalidade dos episódios, dá pra notar a queda na qualidade dos textos e piadas. A derradeira temporada não chega a ser ruim, mas está aquém do brilhantismo das da época de ouro das Golden Girls, quando habitavam a lista dos 10 programas mais vistos nos EUA. O público percebeu a queda na qualidade ou enjoou, porque na sétima vinda das meninas, ficaram em trigésimo lugar!
Bea Arthur, a Dorothy, avisara que sairia ao término da sétima temporada. Não fazia sentido continuar naquele formato sem ela; inventaram um tal de The Golden Palace, hotel administrado por Blanche, Rose e Sofia. Ninguém assistiu e ao fim da primeira temporada o show foi cancelado. Aprendi há pouco sobre a existência do programa, mas reluto em procurá-lo nos programas de compartilhamento de arquivos. Será que aceito as Super Gatas em outro ambiente e sem uma de minhas favoritas?
Em julho, vi episódios da versão espanhola em hotel norueguês ou russo. Las Chicas de Oro me pareceu comportado demais; não desceu. Heresia domesticar o sarcasmo de Dorothy!

Nenhum comentário:

Postar um comentário