terça-feira, 19 de maio de 2020

TELINHA QUENTE 405


Roberto Rillo Bíscaro

Na segunda temporada da anglo-irlandesa Blood, o ex-médico Jim volta para casa e encontra sua filha mais velha enfrentando graves problemas com o marido e segredos começam a vir à tona.

segunda-feira, 18 de maio de 2020

CAIXA DE MÚSICA 412


Roberto Rillo Bíscaro

O quarteto de rock progressivo italiano Quel Che Disse Il Tuono estreia em alto estilo sinfônico, resgatando o melhor dos anos 70, mas com produção excelente. 

sexta-feira, 15 de maio de 2020

PAPIRO VIRTUAL 163


Roberto Rillo Bíscaro

O criador de Downton Abbey escreveu um romance com tons de século XIX, mas totalmente legível para nosso gosto por velocidade narrativa do século XXI.

terça-feira, 12 de maio de 2020

TELINHA QUENTE 404


Roberto Rillo Bíscaro

Cat Hogan volta para casa para o funeral da mãe, mas logo desconfia que seu pai teve a ver com a morte. Daí, começam as revelações.

segunda-feira, 11 de maio de 2020

CAIXA DE MÚSICA 411


Roberto Rillo Bíscaro


Estrela britânica em ascensão, a londrina Yasmin Lacey apresenta sua soul music misturada com jazz, funk, dancehall e reggae.

terça-feira, 5 de maio de 2020

TELINHA QUENTE 403


Roberto Rillo Bíscaro

Em The Bay, dois irmãos adolescentes desaparecem e segredos começam a emergir.

segunda-feira, 4 de maio de 2020

CAIXA DE MÚSICA 410

Roberto Rillo Bíscaro

Quer um som festivo e energético, que mistura rock, funk e soul? Tente The Lionyls.

sexta-feira, 1 de maio de 2020

PAPIRO VIRTUAL 162



Roberto Rillo Bíscaro

O baixista da banda mais influente do pós-punk inglês, conta sua infância, a formação da Joy Division, rixas internas e o suicídio de Ian Curtis.

quinta-feira, 30 de abril de 2020

TELONA QUENTE 402



Lefty Brown é um ajudante de 63 anos que toda a sua vida ficou ao lado da lenda do faroeste Eddie Johnson. Johnson foi apontado como senador de Montana e, apesar das objeções da esposa Laura, planeja deixar Lefty em cargo do rancho. Quando um ladrão mata Johnson, Lefty é confrontado pela sombra do parceiro e das feias realidades da justiça na fronteira.

terça-feira, 28 de abril de 2020

TELINHA QUENTE 402


Roberto Rillo Bíscaro


Em Unforgotten, casos policiais não-resolvidos são reabertos e provocam terríveis consequências nas vidas de todos os envolvidos.

segunda-feira, 27 de abril de 2020

CAIXA DE MÚSICA 409


Roberto Rillo Bíscaro

Em seu quarto álbum, o Wild Nothing mergulha de cabeça nos anos 80.

terça-feira, 21 de abril de 2020

TELINHA QUENTE 401


Roberto Rillo Bíscaro


Um segredo da época das sagas medievais, um assassinato, uma mulher traumatizada, em uma remota comunidade na Islândia...

segunda-feira, 20 de abril de 2020

CAIXA DE MÚSICA 408


Roberto Rillo Bíscaro

O trabalho de estreia da norte-americana Mia Jae mostra uma voz assertiva em composições sobre a dor do amor.

sexta-feira, 17 de abril de 2020

PAPIRO VIRTUAL 161



Roberto Rillo Bíscaro

Crimes bárbaros acontecendo em Calcutá, que sofre com os boicotes propostos por Gandhi e teme pela segurança do Príncipe de Gales, que virá à cidade. Mais uma aventura para o Capitão Wyndham e o Sargento Surrender-Not.

quinta-feira, 16 de abril de 2020

TELONA QUENTE 327


Jovem rainha casada com rei insano começa a ter um caso extraconjugal com o médico da corte. Unidos, eles veem que compartilham as mesmas ideias a respeito do futuro de seu país e iniciam uma revolução

terça-feira, 14 de abril de 2020

TELINHA QUENTE 400

Roberto Rillo Bíscaro

Na série norueguesa Beforeigners, poderosos flashes de luz ocorrem no oceano e pessoas do passado aparecem. Elas vêm de três eras diferentes: a Idade da Pedra, a Era Viking e o final do século XIX.


ÚNICA

Único orangotango albino registrado no mundo é visto em Bornéu

Alba, cujo pelo é de cor creme e seus olhos azuis, foi encontrada aprisionada em 2017.
Ela é o único orangotango albino conhecido no mundo e foi avistada viva e permanece em boa saúde na floresta de Bornéu um ano após sua soltura, segundo a Fundação para a Sobrevivência de Orangotangos de Bornéu.
Este orangotango feminino com pêlo creme e olhos azuis foi encontrado em 2017 trancado em uma gaiola por moradores de Kalimantan, na parte indonésia da ilha de Bornéu, e foi resgatado pelas autoridades e defensores dos animais.
Ela estava desidrata e com fome, foram necessários 1 ano de cuidados antes que ela recuperasse a saúde e pudesse ser solta na natureza novamente.


Nesta semana, a Fundação de Sobrevivência de Orangotangos de Bornéu (BOSF) anunciou que o primata foi avistado enquanto sua equipe controlava outros três orangotangos recém-liberados.
Alba foi colocada em liberdade no final de 2018, para voltar a viver na natureza.
Os orangotangos são grandes primatas nativos das florestas da Malásia e Indonésia. São os maiores artrópodes que vivem em árvores e são muito ameaçados, devido ao tráfico de animais silvestre.

segunda-feira, 13 de abril de 2020

SOLTEIRONA ALBINA

Ave albina não acasala há 4 anos por não ser reconhecida por machos
A falta do peito alaranjado faz a pisco-de-peito-ruivo ficar sozinha por todo esse tempo. Ironicamente, a solteirice a fará viver mais.

Uma fêmea de pisco perdeu o parceiro e não consegue acasalar há quatro anos, pois não é reconhecida pelos machos da espécie.

CAIXA DE MÚSICA 407



Roberto Rillo Bíscaro

O produtor australiano homenageia estilos de soul music e funk da segunda metade dos anos 80/primeira metade dos 90 em um álbum cheio de números dançantes e baladas.


quinta-feira, 9 de abril de 2020

TELONA QUENTE 326


Roberto Rillo Bíscaro

Quando cogitamos o infinito, tendemos a imaginar a vastidão do espaço sideral. Tomando-nos como referencial, pensamos de nós “pra fora”. Mas, o infinitesimal também não seria infindável? E se adotássemos uma perspectiva de nós “pra dentro”?

Esse é o mote do romance O Incrível Homem que Encolheu, de Richard Matheson, publicado em 1956 e que, já no ano seguinte, foi adaptado pras telonas, dirigido pelo ótimo Jack Arnold, o mesmo de It Came From Outer Space, Tarantula e O Monstro da Lagoa Negra.

Devido à exposição a uma sinistra combinação de radioatividade e pesticidas, um cidadão comum, Scott, começa a diminuir incontrolavelmente até se tornar tão diminuto que uma aranha doméstica passa a ser descomunal inimigo. A tarântula de Arnold agora não mais precisaria crescer pra se agigantar; foi o ser-humano que se apequenou.

O branco e preto O incrível Homem Que Encolheu provavelmente funcione até hoje com quem esteja disposto a dar um tempo no colorido cegante e efeitos especiais ultrônicos de agora. Quando Scott encontra-se sozinho no porão de casa - agora transformado num mundo tão desconhecido e perigoso, quanto um planeta alienígena ou a ilha de Robinson Crusoe – o filme ainda prende a atenção e causa suspense.

O grande terror de The Incredible Shrinking Man é a desfamiliarização. Enquanto Scott possuía tamanho “normal” pra ser-humano, controlava – pelo menos supunha que – seu ambiente, sua vida, seu gato de estimação. Uma coisa alterada em seu metabolismo e a sensação de poder se esvai. Seu bichano passa a vê-lo como petisco.

O poder metafórico do livro/filme é matéria da melhor ficção-científica, afinal, quem não se desespera com a perda do controle, da autonomia? Encolher é fantasioso, mas ficar em cadeira de rodas ou ter alzaimer, não. Imagine tudo isso acontecendo com um macho adulto branco!

terça-feira, 7 de abril de 2020

TELINHA QUENTE 399


Roberto Rillo Bíscaro

O detetive Harry Ambrose investiga um perturbado professor do ensino médio, capaz de atos terríveis.

segunda-feira, 6 de abril de 2020

CAIXA DE MÚSICA 406


Roberto Rillo Bíscaro 

Em seu quarto álbum, a norte-americana Tamaryn reúne diversas vertentes musicais dos anos 80 para criar seu álbum mais denso e eletrônico.

sexta-feira, 3 de abril de 2020

PAPIRO VIRTUAL 160

Roberto Rillo Bíscaro

O brutal assassinato de uma jovem, em um apartamento em Copenhague, inicia dias de muito labor para os detetives Jeppe Korner eAnette Werner

sexta-feira, 20 de março de 2020

PAPIRO VIRTUAL 159


Roberto Rillo Bíscaro

Em sua segunda aventura, o Capitão Wyndham e o Sargento Surrender-Not investigam assassinatos na família real de um reino na península indiana, em 1920. Outro romance histórico de detetive, do escritor anglo-indiano.

domingo, 15 de março de 2020

ESTRELA ALBINA

Line é albina e foi perseguida em África. Agora é estrela de TV

Line Banty é apresentadora de televisão e quer mudar mentalidades acerca das pessoas que têm albinismo.

Line Banty tem albinismo e vive no Burkina Faso. Escapou a duas tentativas de rapto motivadas pela sua condição física e, enquanto dormia, um antigo namorado chegou a cortar-lhe pedaços de cabelo para dar sorte. Agora, é uma inspiração para as pessoas que vivem com albinismo: há cerca de um ano que apresenta um programa diário de entretenimento no seu país.
O albinismo consiste na falta de pigmentação na pele, cabelo e olhos. No Burkina Faso, há quem acredite que partes do corpo de pessoas albinas dão poder e boa sorte, o que as torna vítimas e vulneráveis a ataques violentos. Desde 2006, a plataforma Action on Albinism contabiliza 700 ataques contra pessoas com albinismo em 28 países africanos.
Como uma mulher albina, Banty relatou à agência Reuters que teve que superar vários obstáculos durante a sua carreira. Primeiro, o de ser uma mulher com emprego num país onde isso não é comum. No Burkina Faso, quase metade de todas as mulheres casam antes dos 18 anos. Banty também lida com as críticas e insultos por ser uma mulher albina no Facebook, condenado publicamente quem o faz.

Ao mesmo tempo, Banty recebe várias mensagens de outras pessoas com albinismo que dizem ter ganhado coragem para o assumirem graças à sua personalidade positiva e à sua abertura em fazer o mesmo. À Reuters, a apresentadora diz que aborda o albinismo no seu programa, também convidando várias pessoas que sofram do mesmo.

Para Banty, o segredo do sucesso consiste em trabalho duro e na crença de que vai vencer. Um dia, quer abrir uma fundação.

quinta-feira, 12 de março de 2020

TELONA QUENTE 325 (ALBINA)

Roberto Rillo Bíscaro

A lista de representações negativas/sobrenaturais das pessoas com albinismo é extensa em várias artes. Vai de clássico da literatura de ficção-científica à porcaria obscura cinematográfica.
O blog jamais se propôs a patrulhar manifestações artísticas atrás de albinos malucos ou malvados e compilá-las, por mais útil que possa ser. Entretanto, quando me deparo com uma, comento, como é o caso de The Mole People (1956).
Enquanto a maioria das ficções-científicas cinquentistas voava para o espaço sideral, essa produção de baixo orçamento mergulha no misterioso subsolo num roteiro absurdo, mas até que divertido, não fosse o final abrupto e a pobreza geral.
O título de “doutor” deslumbra muita gente e a TV sempre adorou usar quem o possui pra dar confiabilidade às frequentes bobagens apresentadas. Nos anos 50/60 Frank C. Baxter ficou famoso como “cientista”, porque apresentava shows relacionados e tinha opiniões formadas sobre tudo. Que fosse doutor em inglês e entendesse de ciência provavelmente tanto quanto eu (também um doutor....) não importava; ele era dotô e dotô tem otoridade!
Pois bem, The Mole People tem introdução algo longa sobre teorias intraterráqueas pra dar sustância à trama. O Dr. Baxter faz apanhadão até interessante sobre malucos que criam que a Terra era oca. Não ria dos antigos: numa convenção terraplanista da “desenvolvida” Inglaterra, os panelistas decidiram que a lei da gravidade não existe e a Austrália é habitada por robôs.
Corta pros confins mesopotâmicos montanhosos da Ásia, onde pequeno grupo descobre civilização subterrânea, que vive segundo preceitos da deusa Ishtar. O roteiro passa diversos minutos tentando estabelecer mitologia própria, num mambo-jambo sobre dilúvios, arcas e outras crendices.
Inexplicavelmente, essa civilização consegue produzir tecidos, material pra instrumentos musicais, embora esteja fadada a comer ratos e cogumelos. Eles se assustam com a lanterna dos visitantes da superfície, mas quando gigantesca porta se abre e descomunal facho luminoso ilumina donzelas a caminho do sacrifício, elas sequer franzem os lindos rostos. Essas coisas, claro, não tem a menor importância, afinal, são esses absurdos que nos motivam a aguentar esse tipo de filme. E tá cheio do tolice e roupa de monstro mal feita.
Falando em monstro, o tal povo-toupeira do título é uma comunidade mais intraterrestre ainda, dominada pela tal civilização sumeriana, que é albina e teocrática. Faz sentido serem despigmentados se não há sol lá embaixo (mas há uma claridade vinda das rochas ou algo assim), mas nem todos são e os pigmentados são inferiores e serviçais da elite albina. Guardas albinos (mal maquiados pra burro) chibatam as pobres toupeiras, mas claro que a situação mudará, afinal, chegaram heróis da superfície.
Só não se sabe pra quê, porque no final... bem, assista, mas saiba que rumores dão conta que aquele desfecho foi imposto pelo estúdio pra não estimular uniões inter-raciais, naquele momento proibidas em alguns estados norte-americanos.

terça-feira, 10 de março de 2020

TELINHA QUENTE 398

Crimes brutais na fronteira entre a Alemanha e a Áustria colocam dois detetives em busca de um assassino em série.

segunda-feira, 9 de março de 2020

CAIXA DE MÚSICA 405



Roberto Rillo Bíscaro

O quinteto mineiro Carpiah mantém a tradição do rock rural da década de 70.

sexta-feira, 6 de março de 2020

PAPIRO VIRTUAL 158


Roberto Rillo Bíscaro

Na Índia colonizada pelos britânicos, em 1919, o Capitão Wyndham e o Sargento Surrender-Not investigam a morte de um alto funcionário da coroa imperial. Terrorismo? Vingança pessoal? Romance policial histórico de estreia de Abir Mukherjee. 

quinta-feira, 5 de março de 2020

TELONA QUENTE 324

Roberto Rillo Bíscaro

No feriado de Natal, pessoas começam a morrer numa república estudantil feminina. Um filme de horror feminista.