terça-feira, 3 de julho de 2018

TELINHA QUENTE 316


Roberto Rillo Bíscaro

A cena de abertura da série de animação O Vazio (2018) - que a Netflix anexou discretamente a seu catálogo, no começo de junho – é familiar a qualquer fã de cine de terror: três jovens acordam em local exótico, sem a menor noção do porquê estarem lá. Ademais, sequer se recordam de seu passado ou de seus próprios nomes.
Não se trata de série de horror, mas, de aventura em dez capítulos, capaz de prender a atenção até de adultos e totalmente maratonável, porque cada episódio dura pouco mais de vinte minutos.
O Vazio acerta em cheio na necessidade de aguçar a curiosidade, para raptar sua atenção e interesse, logo no primeiro capítulo. O trio é gostável, quase de imediato: Adam é o galã assertivo; Mira, a menina empoderada e de tiradas mordazes e Kai, o alívio cômico, medroso e desastrado, naquela tradição que nós mais maduros amamos desde o Salsicha, de Scooby Doo ou Alex, de Josie e as Gatinhas.
Assim que saem do cubículo de pedra, onde se encontravam encerrados, os meninos descobrem que estão num mundo perigoso e aloprado, com suas próprias regras e distintas mitologias. Mesmo sem se lembrarem de onde é, Adam, Mira e Kai querem voltar para casa, e como numa Caverna do Dragão do século XXI, iniciam perigosa perambulação por cenários bem variados, como naves espaciais, desertos, região polar, cidade dominada por aranhas mutantes e muito mais.
A produção canadense não deixa a bola cair em nenhum momento; sempre há novidade. Os meninos vão descobrindo superpoderes que desconheciam possuir e encontram exótica galeria de personagens. Tem até o Weird Guy, que, como o Mestre dos Magos, atrapalha mais do que ajuda.
Como n’A Caverna do Dragão, há a dúvida: será que estão mortos e vagam por uma espécie de purgatório? Ou seria outra coisa? O defeito d’O Vazio é apontar pra resposta uns três ou quatro episódios antes do final, aguando a revelação.
Aos adultos mais familiarizados com mundos de ficção-científica e horror trash, ainda sobra a diversão de detectar donde os criadores da Slap Happy Cartoons tiraram suas referências, como o monstro verde babante, totalmente Alien, O Oitavo Passageiro.
O Vazio apresenta final fechado, embora haja espaço para temporada sequente. Se houver, este cinquentão certamente a assistirá, porque devorei a dezena de episódios num só dia e ainda queria mais Adam, Mira e, claro, principalmente, Kai.

Um comentário:

  1. Amei prof!!! Manda mais da Netflix adoro!! Depois dessa lógico q assisto
    PS não consegui me identificar...
    Ivonilde - Bilac

    ResponderExcluir